Aula de Roteiro 27 – Guerra das Armaduras – Parte Final

Finalmente a análise da última parte de Guerra das Armaduras.

“RENASCIMENTO”

ATO I

Começamos vendo várias telas onde são canais diferentes de TV. Em algumas há a transmissão da notícia da morte do Homem-de-Ferro em confronto com o exército. E aí vemos que são Tony e Rhodes que estão assistindo. Eles conversam sobre as consequências da Guerra das Armaduras, de modo que faz um belo resumo e ainda mostra a visão que Tony tem de tudo. A conclusão a que chega é que ele também enterrou o Homem-de-Ferro, ou seja, não será mais um super-herói porque não irá construir novas armaduras.

Essa é sua necessidade dramática neste capítulo. Ele quer desistir de ser o Homem-de-Ferro.

Cortamos para mais testes do Poder de Fogo pelo exército. Querem avaliar se houve algum dano durante a briga contra o Homem-de-Ferro. Porém, durante os testes, Edwin Cord ameaça os militares de modo que consegue ter o Poder de Fogo apenas para si. Nota-se que ele tem outros objetivos que o exército nem imaginava para o poder de fogo. Esse é o ponto de virada I do capítulo e veremos mais tarde porque.

ATO II

Voltamos para Tony. Ele está nas Indústrias Stark tentando ver como pode fazer para minimizar os estragos morais que ele e sua empresa receberam durante a missão dele como Homem-de-Ferro. Em outro lugar, uma empresa discute com seus funcionários de mais alto cargo uma proposta feita pelas Indústrias Stark para uma parceria. A reunião então é interrompida por Edwin Cord, que traz Poder de Fogo – atravessando a parede – e ameaça os empresários caso fechem a parceria com Stark. Em outro dia, um carregamento da Accutech, subsidiária das Indústrias Stark, é atacado pelo Poder de Fogo. Edwin parece determinado a fazer Stark ir até a falência.

Em outro lugar, Tony supervisiona um outro carregamento, um serviço que não chega a ser terminado porque o Poder de Fogo aparece para detonar tudo e ameaçar Tony. Vendo o que Poder de Fogo fez com seus bens e, principalmente, seus funcionários, Tony decide ir para casa. Esse ataque pessoal a Tony é o gancho I, pois é isso que forçará Tony a continuar sendo o Homem-de-Ferro mais pra frente.

Ele então começa a construção de uma nova armadura do Homem-de-Ferro com a intenção de ser a mais poderosa já criada por ele e que fosse mais do que suficiente para derrotar Poder de Fogo. Porém, ele tem a intenção de destruí-la para que sua tecnologia não vaze. O ponto central é o processo de construção da nova armadura. Tony havia desistido de ser o Homem-de-Ferro. Edwin toma o Poder de Fogo das mãos do exército e usa para prejudicar Tony, que é obrigado a construir numa nova armadura para resolver isso. Percebeu como todos os pontos vão se interligando, fazendo um depender do outro de maneira a fazer a história se mover para frente?

Em outro dia, um novo evento patrocinado pelas Indústrias Stark acontece e o Poder de Fogo aparece para causar estragos. Antes que possa fazer qualquer coisa, Tony aparece usando sua nova versão da armadura do Homem-de-Ferro, aquela que seria conhecida como “armadura clássica II”. Esse é o gancho II: o renascimento vitorioso de Tony como Homem-de-Ferro.

A briga começa e Tony rechaça facilmente qualquer recurso de Poder de Fogo. Em um dado momento do combate, Tony causa tanto dano que parte da armadura de Poder de Fogo amassa um pouco.

Esse é o ponto de virada II do capítulo. Tony encurralando Poder de Fogo a ponto de fazer com que a maior arma de seu oponente se volte contra ele, resolvendo de vez o combate.

ATO III

Quando Poder de Fogo se sente encurralado pelo Homem-de-Ferro, tenta usar o Terminax, que emperra; ou seja, será detonado, mesmo preso à armadura dele. Parece que Poder de Fogo morrerá. Entretanto, o Homem-de-Ferro consegue cancelar a ativação do Terminax a tempo, salvando todos ali, inclusive Poder de Fogo.

Depois de derrotar Poder de Fogo, Tony reflete sobre o significado da existência do Homem-de-Ferro e desiste de para de ser o herói, pois percebe que um vazamento de sua tecnologia é algo que sempre haverá chance de acontecer e isso é algo que ele precisa evitar a todo custo. Porém, no momento, tudo que ele quer é descansar.

Fim.

CONSIDERAÇÕES

TOTAL 174 PÁGINAS

APRESENTAÇÃO (1/43,5)
Tony Stark descobre que estão usando tecnologia sua de forma ilegal, revendendo para outras empresas, governos e o pior, para criminosos.

PONTO DE VIRADA I
Quando Stark acaba com os Aeropiratas. Isso faz com que Edwin Cord resolva contra-atacar.

CONFRONTO (43,5/130,5)
Tony e suas tentativas de eliminar de vez sua tecnologia, que está nas mãos de outros, mas afunda-se cada vez mais. A cada oponente que enfrenta ele acaba tendo que pagar preços muito altos, de modo que haverá consequências pesadas ainda em outras inúmeras histórias no futuro.

PONTO DE VIRADA II
É quando Abe Zimmer traz a novidade de que inventou um sistema que consegue inutilizar a tecnologia roubada em qualquer parte do mundo, deixando Stark preocupado com uma fonte apenas.

RESOLUÇÃO (130,5/174)
Stark precisa ir atrás da fonte e eliminá-la de uma vez por todas. O primeiro combate termina de forma ruim para Stark e ele parece fora da jogada, mas ao construir uma nova armadura com novos e poderosos recursos, acaba de vez com seu oponente, eliminando o último traço de tecnologia Stark que havia vazado e, enfim, merecendo seu descanso.

DETALHES

Um exercício bacana é, ao ler esse arco, encontrar os pontos centrais e ganchos I e II do arco. Se quiser usar a parte de cometários para conversar com outros leitores das aulas e teorizar, fique à vontade.

Tenha em mente que Guerra das Armaduras tem vários propósitos. Um deles, editorialmente falando, era criar um grande arco com o personagem de modo fazê-lo voltar ao topo, pois na época andava muito apagado tanto no Universo Marvel quanto na mente dos leitores. Outro propósito editorial era o de criar um arco que pudesse ter ramificações em outras histórias futuras não só do próprio Homem-de-Ferro, mas como também no Univers Marvel, tendo como exemplo, o primeiro abalo na amizade entre Tony e Steve, coisa que iria causar outras crises entre os dois até culminar no relativamente recente Guerra Civil.

Para que a Marvel tivesse um arco que cumprisse tais objetivos, o objetivo dramático teria que ser algo que Tony jamais pudesse resolver 100%, como ficamos sabendo quando Tony resolver ser o Homem-de-Ferro para sempre após a construção da nova armadura no final do capítulo 7. Esse objetivo dramático não só direcionou todo o arco como reinventou o foco do personagem no Universo Marvel e na mente dos leitores. Além disso, teria que ser algo que faria Tony ir além de limites que ele nunca tinha atingido antes.

Tendo todas essas características, você tem um clássico intantâneo dos quadrinhos!

É importante lembrar também o objetivo da análise feita pelo Zap! HQ: ver como organizar um arco de histórias – ou mesmo uma história solo – quando somos obrigados a escrever algo que tem um número de páginas quebrado, obrigando o roteirista a fazer um malabarismo organizacional quando tem que estruturá-la. E também, claro, ajudar a roteiristas iniciantes a escolher melhor o número de páginas de sua história de modo a evitar esses números quebrados.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: