Aula de Roteiro 26 – Guerra das Armaduras – Parte 6

Estamos de volta, dando continuidade com a análise de Guerra das Armaduras, história clássica do Homem-de-Ferro.

“O DIA EM QUE O HERÓI MORREU”

ATO I

O capítulo começa com o Senador Boynton e Edwin Cord presenciando testes do projeto “Poder de Fogo”. E ainda usam um programa que simula um combate contra o Homem-de-Ferro. Essa é a primeira vez que algo do Poder de Fogo é mostrado, dando a idéia de que é também uma armadura de combate. Durante os testes o leitor vê a superioridade óbvia do Poder de Fogo contra o Homem-de-Ferro, além de apresentar uma arma exclusiva dele, o “Terminax”, um potente míssel de baixa radiação, como um mini-míssel nuclear.

Na sequência, Tony e Rhodes refletem sobre a morte do Homem-de-Titânio no capítulo anterior. Tony segura um jornal cuja matéria principal é “Soviéticos acusam Homem-de-Ferro de assassinato”. É ali que em tal reflexão temos uma amostra o quanto essa missão custará para o Homem-de-Ferro, para as Indústrias Stark e para o próprio Tony, ou seja, ele foi afetado em todos os níveis.

Depois disso, Tony e Rhodes tem um encontro com Zimmer.

ATO II

E esse encontro é justamente um ponto chave não só para o capítulo, mas também para o arco em si. Zimmer mostra a Tony a “Tênia”, um programa enviado em circulação contínua pelas grandes redes de comunicação. Ela se divide e espalha pelas redes menores até “infestar” virtualmente todos os bancos de dados do planeta. Esse “verme” tem a função de apagar os dados referentes à tecnologia que Tony tinha especificado. E o melhor é que ele não tem como ser eliminado, circulando livremente pelo mundo inteiro. É Zimmer apresentando esse programa que é ao mesmo tempo o ponto de virada I do capítulo, mas também o ponto de virada II do arco.

Ele é o ponto de virada I porque mostrará que ainda falta uma armadura contendo tecnologia Stark, o que levará Tony a ter que resolver esse problema. E é o ponto de virada II porque após resolvido esse problema, Tony conseguirá atingir sua necessidade dramática principal: acabar com a tecnologia Stark que está nas mãos de outros.

Assim que Zimmer ativa o sistema e tudo que tem a tal tecnologia Stark pára de funcionar. Em outro lugar, vemos pela primeira vez o Poder de Fogo completo, em testes de campo. O desempenho é impressionante. Nas Indústrias Stark, Rhodes e Tony percebem que falta apenas uma fonte que detém tecnologia Stark de forma ilegal. Dessa maneira, Tony vai até um satélite desativado criado por ele para ter um alcance de modo que essa fonte seja detectada sem falhas. E ele consegue achá-la.

Stark volta para sua empresa e antes que possa se preparar para ir atrás da fonte, vê que o Senador Boynton, acompanhado de militares, está ali para ter a ajuda de Tony para capturar o Homem-de-Ferro. E no meio da conversa Tony descobre mais sobre a tal fonte, como o nome, “Poder de Fogo”. Ele então resolve usar da mesma estratégia que fez para ludibriar a Shield, marcando uma “armadilha” para o Homem-de-Ferro.

Quando o momento chega, Rhodes está em um helicóptero de modo a fazer o governo pensar que Stark está dando acessoria ali, quando na verdade ele está se comunicando através de seu traje durante o combate. Tony então desce e começa a combater Poder de Fogo. A armadura do governo mostra-se infinitamente superior à criação de Stark.

Porém, Tony consegue chegar perto o suficiente e tenta usar o aparelho de mini-pulso eletromagnético em Poder de Fogo, mas… não funciona. O governo analisou a versão do aparelho que estava no traje do Arraia capítulos atrás para criar um meio de imunização. Esse é o ponto de virada II, pois obriga Tony a tentar outra coisa para derrotar seu poderoso oponente.

ATO III

Tony então começa a apanhar como nunca antes em sua vida. Desse modo, não vê outra saída a não ser o provável comprometimento de seu plano de enganar o exército, entrando no helicóptero pilotado por Rhodes. Este tenta blefar, dizendo ao exército que o Homem-de-Ferro fez ele e Tony reféns, mas o exército não dá ouvidos e trava as miras no helicóptero, forçando Tony a sair do veículo. Quando faz isso, o Poder de Fogo atira o Terminax, praticamente pulverizando o Homem-de-Ferro. Tudo o que sobra é um pedaço do capacete com restos de sangue.

E assim acaba a sexta parte de Guerra das Armaduras.

A partir dessa edição, a função do roteirista é a de começar a amarrar as pontas soltar do arco, pois o ponto de virada II do arco – que é o acontecimento que ajuda o personagem principal a solucionar seu problema – é quando Zimmer anuncia a “Tênia”, de maneira que deixa Stark seguro de que todas as fontes – menos uma – de sua tecnologia nas mãos de outros foram eliminadas. Desse modo, todo o Ato III do arco pega uma parte do capítulo 6 e todo o capítulo 7, finalizando a história de vez, coisa que veremos na próxima aula de roteiro, a última envolvendo a Guerra das Armaduras.

Anúncios

3 Responses to Aula de Roteiro 26 – Guerra das Armaduras – Parte 6

  1. andre lima says:

    GRANDE! PERFEITO!

    só uma sugestão, a guerra das armaduras não é uma série consagrada. o que eu queria sugerir é que se analise da proxima vez uma história consagrada.

    valeu

    voces são demais

    • zaphq says:

      Olá André, tudo bom?

      Claro que Guerra das Armaduras é uma série consagrada. Em sua época de lançamento foi tão importante para o Homem de Ferro quanto foi, por exemplo, A Guerra Sinestro para o Lanterna Verde.

      Abraços.

  2. Endy Ramon says:

    to gostando muito das aulas de roteiro… nas quero saber quando vocês vão postar mais aulas?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: