PRIMEIRAS PÁGINAS DE UM PROJETO – PÁGINAS TESTE

Chicanos é o nome provisório de um novo projeto do Zap! HQ. Nada tem a ver com o universo de Anarquia, Cosmos, Arkanus e Os Bandeirantes. É outro mundo, só deles. Diferente dos quatro citados, Chicanos não faz parte de um universo fechado. A intenção é produzir a história para ser apresentada para as editoras com intenção de ser um álbum no estilo europeu.

Em outras palavras, é para ser uma história fechada, com x páginas. Acabando o primeiro álbum, começamos a produzir o próximo, sem prazo. Ou seja, realmente é no esquema de produção europeu.

O roteiro do primeiro álbum está quase pronto e apresento-lhe as primeiras páginas. O primeiro motivo é que Chicanos não tem equipe de arte ainda. Dessa maneira, disponibilizo aqui um link do Rapidshare para baixar as primeiras páginas do roteiro; com a intenção de que você desenhista, se estiver interessado no projeto, pode desenhar essas páginas e enviar para nós como um teste.

Após o link, descrição dos personagens.

Chicanos – primeiras páginas

LINHA CRIATIVA

Cinco amigos que, juntos, são caçadores de recompensa e rastreadores. Eles são párias da sociedade e sem praticamente ninguém com quem contar além de um ao outro.

INFLUÊNCIA

“Snatch – Porcos e Diamantes”; “Cães de Aluguel”; “O Troco” e “Arquivo X”.

DESENVOLVIMENTO

“Chicanos”, como eles próprios se chamam, são amigos que, sem perspectiva de vida, resolveram se juntar para tentar sobreviver, de modo que se enxergam como uma família.

As pessoas perdem coisas. Algumas, sem querer. Outras, através de gente maldosa e/ou invejosa. E também, às vezes, até as próprias pessoas pode… desaparecer. E sempre há o bom e velho acerto de contas. Os Chicanos agem nos problemas dos outros.

Você perdeu um pen-drive com informações valiosas? Eles acham. Alguém está lhe devendo uma grana absurda? Eles trazem o maldito devedor até você. Precisa de proteção? Pode ser que eles sejam o que procura. No final das contas, não importa o serviço, eles fazem, pois precisam sobreviver em um mundo que cuspiu na cara deles, agindo sempre à margem da lei e da sociedade.

Entretanto, contando com um personagem com capacidades psíquicas e outro, um vampiro, de vez em quando, entre uma missão e outra, eles podem trombar com alguma coisa inexplicável, daquelas só ouvidas em lendas urbanas ou em histórias de anciões do interior.

PERSONAGENS

WALL – Wallace Velazquez é brasileiro descendente de mexicanos. Wall, como é chamado por seus amigos, é filho de uma ex-prostituta, de modo que nunca conheceu seu pai. Por alguma razão misteriosa, Wall possui poderes psíquicos – tais como telepatia, telecinésia, entre outros – mas de grau levíssimo, sendo quase humano. Embora não seja muito poderoso, Wall é inteligente e criativo o bastante para saber como tirar proveito do que é capaz de fazer e é isso que faz a diferença. Fã de Soundgarden, Alice in Chains, AC/DC, Van Halen e Deep Purple, sonhava em montar uma banda de rock, mas tristes acontecimentos em sua vida deram outro destino a ele. Tem 25 anos de idade, cabelos pretos na altura dos ombros, é branco, usa brinco de argola e fuma, além de se vestir como um típico roqueiro. Ele se parece muito com Nuno Bettencourt, guitarrista do Extreme, nessa foto.

TEL – Marcelo “Tel” Andrade é especialista em armas de fogo, principalmente pistolas automáticas. Trabalha como fachada no cargo de barman em uma casa de diversões para grã-finos. Perto da alta sociedade, Tel consegue às vezes serviços muito lucrativos para eles. Além disso, é o galã, de modo que é ele quem geralmente chama a atenção das mulheres, coisa que ele tira proveito muito bem, já que é praticamente um ninfomaníaco. Tel está sempre bem vestido, usando camisa social, colete sempre fechado, calça e sapatos sociais. E ele tem cabelos loiros, olhos claros, cerca de 1,68cm, e se parece com o ator Chris Evans nessa foto.

RAUL – Raul Medina é também descendente de mexicanos, mas é americano. É um vampiro, mas não é antigo, tendo sido transformado recentemente – na verdade, na passagem dos anos 50 para os anos 60 – para os padrões de sua raça, de modo que não é nem de longe muito poderoso. É fã de Elvis, Marlon Brando e James Dean, vestindo-se como seus ídolos. Dirige uma Harley-Davidson modelo Fat Boy. Por algum motivo Raul não gosta de conversar sobre seu passado nos EUA e seus amigos respeito essa posição. Seu tamanho (cerca de 1,95cm), corpo troncudo e massudo junto de um rosto largo e marcante lembra uma mistura de Marlon Brando com Alexandre Frota.

As pessoas famosas aqui descritas são apenas uma sugestão do visual dos personagens. Não é necessário – e nem deve – fazer exatamente igual ao que está nas fotos. O importante é dar seu toque visual, focando na descrição e não nas imagens. Por sinal, apenas três dos cinco amigos aparecem nas primeiras páginas, por isso tem apenas a descrição dos três principais.

Os outros personagens que aparecem nessas primeiras páginas são traficantes de drogas do Mato Grosso do Sul, de forma que o visual é bem livre. O desenhista fica a seu bel prazer para dar a eles a aparência que quiser.

ATENÇÃO: envie suas páginas para contato.zap.hq@gmail.com – com 72 dpi de resolução.

Aula de Roteiro 11

Nesta aula partimos para a análise da 3ª parte do arco “Nova Ordem Mundial”, da Liga da Justiça de Grant Morrison. O nome do capítulo é “Guerra dos Mundos”. Dá pra sacar que as referências/homenagens a grandes e clássicos filmes do cinema não ficaram nos capítulos anteriores, não é?

Ato I

O capítulo começa com Protex e Primaid conversando sobre como manter Superman aprisionado. Vemos o heróis delirando conforme é exposto a uma dose calcula da kryptonita, que está relativamente próxima a ele. Mas Morrison dá uma pista de que as coisas não são exatamente assim quando diz: “Você parece confuso, Superman. Quase delirante. É o Protex. Certamente me reconhece. Talvez seus olhos estejam lhe pregando peças. Estou certo de que não preciso lhe dizer que esse é um dos sintomas de envenenamento por kryptonita em estágio avançado.” A parte importante desta fala é “…talvez seus olhos estejam lhe pregando peças”. Veremos por que em breve, na última parte.

Cortamos para Batman invandindo o QG principal do Hyperclan sem ser detectado. Através de seus pensamentos, vemos que ele está usando do elemento surpresa, afinal, pensam que ele está morto. Pelo mesmo artifício vemos que Batman já sabe como derrotá-los. “Sei exatamente de onde eles vêm”, pensa ele, concluindo. Após entrar, Batman é detectado por robôs sentinelas.

Cortamos para Flash, que está em uma batalha contra Züm, o velocista do Hyperclan. Wally percebe que Züm usa a supervelocidade de forma tática, denotando que seu oponente tem um treinamento avançado de combate com tal superpoder. O corredor escarlate conclui que ele precisa arrumar uma maneira de furar o bloqueio tático de Züm, caso contrário, perderá.

Usando do Campo de Velocidade – que Wally teoriza que Züm não tem conexão alguma – Wally sabe que a curto prazo, Züm é mais rápído do que ele, mas que pode ser mais rápido ainda se absorver velocidade do Campo de Velocidade, porém não pode perder tempo. Wally então absorve velocidade, dá uma volta no mundo pra pegar impulso e soca Züm com toda a potência que pode. E basta apenas um soco e Züm é arremessado por todo o Oceano Atlântico, indo parar na África, derrotado.

O Ponto de Virada 1 é quando Wally derrota Züm. Devido às táticas de Züm, Protex não espera que ele perca de Flash. Ele botou fé demais em seu comandado. Aqui que começa, subtamente, a derrota do Hyperclan, que se consolidará mais adiante.

Ato II

Cortamos para Kyle, que luta contra Arkek e Zenturion. Ele está tendo problemas para enfrentar dois marcianos, mesmo tendo a arma mais poderosa do universo, que é um anel oano. E ele está fadado a perder, se Wally não aparecesse para salvar a pele dele. Morrison faz o Flash salvar o companheiro, mostrando ao leitor que ali é o começo da reunião da Liga. Wally se livrou de seu problema e agora busca os companheiros. Isso mostra ainda mais que o Ponto de Virada 1 deste capítulo é mesmo Wally derrotando Züm.

Assim que derrotam Armek e Zenturion, Wally e Kyle entram num dos QGs e fazem uma pesquisa para ver se há mais informações que possam ajudar a derrotar os invasores. Wally acha os satélites escondidos do Hyperclan, coisa que os ajudou a chegar na surdina na Terra e ainda controlar a mente da população nativa. Wally também percebe que pode haver mais marcianos escondidos no espaço, esperando ordens. Infelizmente, antes de confirmar, Armek e Zenturion se recuperaram e aparecem para o segundo round.

Cortamos para o QG principal. Superman está aprisionado. Mulher-Maravilha e Aquaman também. E, pasmem, vemos Armek e Zenturion aprisionando Wally e Kyle. A luta não foi bem.

Querendo desestabilizar Superman e o resto da Liga, dizem que Ajax os traiu. É mesmo, onde está Ajax? A única pista que temos é quando Armek diz que Ajax logo se unirá a eles para denunciar a Liga como inimigos da Terra. Saberemos mais tarde.

Eles estão prontos para a transmissão de execução dos membros da Liga. A intenção é mostrá-los sendo mortos por crimes contra a humanidade, da mesma forma que fizeram com alguns dos vilões. Entretanto, quando estão prestes a transmitir, E-Mortal detecta que eles perderam cinco robôs defensivos em uma parte do QG. “Devíamos ter nos certificado da morte de Batman. E se for ele?” diz o vilão que teve a última e única manifestação de bom senso entre os marcianos.

Protex diz para não se preocuparem, pois Batman é humano, mortal e, portanto, nada pode fazer contra eles, que são superpoderosos. Mesmo assim, E-Mortal diz que gostaria de verificar por puro desencargo de consciência. Protex está tão despreocupado que permite E-Mortal fazer a busca, imaginando que seu amigo facilmente capturará o Homem-Morcego, o que provará seu ponto de vista.

E-Mortal vai em busca de Batman e o acha.

Cortamos para Protex, que está começando a fazer a transmissão. Entretanto, Primaid diz que E-Mortal não está respondendo. Impaciente para transmitir e executar os membros da Liga, Protex manda o resto do Hyperclan atrás de Batman. Todos eles vão como se fossem cães atrás de um graveto, pois como Batman é um mero mortal, será apenas diversão. “Ele é só um homem”, diz Protex. Superman sorri e nada diz.

Os três membros remanescentes do Hyperclan vão até a última localização de E-Mortal e o acham. Desacordado. Amarrado. E com um bilhete que diz: “Eu sei seu segredo!”.

Em seguida vemos Batman, próximo dali, despejando um líquido no chão, fazendo um círculo com uma considerável área de raio. Os três, sem perceberem, ao acharem Batman, entram dentro desse círculo. Quando eles entram nesse círculo é o Ponto de Virada 2. Devido a essa ação, praticamente metade do Hyperclan será derrotado por Batman, facilitando e muito a futura libertação dos membros da Liga da Justiça.

Ato III

Os marcianos estão se achando vitoriosos e Batman explica que não é bem assim e joga um palito de fósforo no líquido. Era gasolina. Criou-se uma muralha de chamas ao redor deles, que automaticamente os faz perder seus poderes. “Vamos lá, estou pronto”, diz Batman.

Protex irremediavelmente percebe que há algo errado com seus companheiros. Chega a esbravejar: “Ele é só um homem!”. Agonizante, Superman responde: “O homem mais perigoso da Terra”. Com essa fala, sabemos que Protex terá problemas gigantes. Desesperado, Protex revela que Wally estava certo: há mais deles. Setenta, para ser mais exato. Protex ordena a invasão. “Nós vencemos”, brada o vilão.

Neste pedaço chegamos ao Ponto de Virada 2 do arco. É quando Protex ordena a invasão, muito cedo. Saberemos por que na quarta e última parte de “Nova Ordem Mundial”, na próxima aula de roteiro.

Considerações

O capítulo começa com Protex, o personagem principal, dependendo de seus companheiros. E esse é o grande erro do vilão. Ele subestima a Liga e, principalmente, Batman. Neste capítulo, Morrison precisava arquitetar o início da derrocada do Hyperclan, coisa que culminará na quarta parte do arco.

Desse modo, foi essencial que no 2º capítulo Batman fosse dado como morto, tivesse o elemento surpresa e tivesse informações suficientes que dessem condições a ele de contra-atacar.

Morrison ainda precisava colocar a pista de que Superman não está preso do modo que pensamos que está, coisa que ele faz quando Protex diz “Talvez seus olhos estejam pregados”.

A idéia central deste capítulo é basicamente o o contra-ataque da Liga. No 1º capítulo o Hyperclan aparece e ganha a simpatia dos terrestres e ainda firma suas bases. No 2º capítulo, o Hyperclan trata de derrotar a Liga enquanto termina de firmar suas bases. No 3º capítulo, Morrison precisa mostrar o contra-ataque da Liga, coisa que é feita mostrando que as bases já estão firmadas e assim que tiverem todos da Liga capturados ocorre a execução.

Mas Protex não contava com uma coisa: Batman. Simples, direto e objetivo.

Com três capítulos publicados, Morrison conseguia imprimir o estilo de escrita que iria permear o resto de sua passagem pela Liga da Justiça. Só faltaria agora o grande desfecho na edição seguinte.

Enquete #02

Eis que vamos para a nossa segunda enquete, que tem como assunto as aulas de roteiro do Zap!HQ. Sua opinião é importante para a qualidade das aulas.